QUILHAS: DICAS PARA MELHORAR SUA PERFORMANCE

QUILHAS: DICAS PARA MELHORAR SUA PERFORMANCE

Por Henrique Knevitz

As quilhas podem ter um desempenho gigantesco no seu surf. Diferente de alguns anos atrás, onde a grande maioria das pranchas utilizavam o sistema fixo, o advento das quilhas removíveis trouxe uma infinidade de possibilidades. Estima-se que elas possam corresponder a cerca de 40% do seu desempenho na água.

Numa rápida pesquisa na internet, é possível achar diversos guias com informações básicas como pivot, área, materiais, tamanhos, plugs, etc.

Vamos aqui dar algumas dicas complementares que podem ajudar na hora da sua escolha:

1) Sistema

São 3 os principais sistemas de encaixe.

Dual tab da FCS – é o mais antigo e até pouco tempo, o mais popular. As quilhas são fáceis de encontrar e geralmente com preço mais em conta, pois são produzidas por muitas marcas diferentes.

Exemplo de dual tab da Bottom Fins (clique para visualizar este modelo)

Dual tab sem parafusos (FCS II) – é o sistema mais novo e que vem tomando espaço ao redor do mundo todo. Muito prático e com boa variedade de modelos, torna-se interessante também pelo fato de ser utilizado por diversos atletas, que dão referência de qualidade ao produto.

Dual Tab FCSII (clique para visualizar este modelo)

Single tab (Futures) – utiliza apenas um parafuso. Muito bom, pois base da quilha fica muito bem encaixada na prancha, diminuindo possíveis folgas. Também são produzidas por várias empresas, podendo-se encontrar diversos modelos e designs diferentes.

Sistema Single Tab (clique para visualizar este modelo)

2) Área da quilha

As quilhas são dividas pelo seu tamanho, que leva em consideração o peso do surfista. Mas esta não é uma regra. Se você surfa com bastante força ou procura dar maior drive para sua prancha, pode usar quilhas para peso um pouco acima do seu.
Normalmente se encontram as informações de correspondência  área x peso nas próprias embalagens.

Quilhas Al Merrick Large (Grande). Este modelo é interessante, pois tem a quilha central menor que as laterais. A característica do modelo é de maior drive, mas assim, torna-se mais manobrável.

Como referência pode-se usar a tabela abaixo:

Tamanho Descrição do tamanho Peso do Surfista
XS/PP (Extra Small/ Extra Pequena) até 55kgs
S/P (Small/Pequena)   55 a 70kgs
M/M (Medium/Média)  70 a 85 kgs
ML/MG (Medim Large/MádiaGrande) 80 a 90kgs
L/G  (Large/Grande)  85 a 100
XL/XG   (Extra Large/Extra Grande)  100 para cima

3) Tamanho e tipo de onda

O tipo de onda que você pretende surfar irá determinar a recomendação do rake da quilha. Quanto mais em pé for a quilha, mais recomendada para ondas com espaços pequenos para realizar manobras, como encontrados em beachbreaks. Se a quilha for mais deitada, a prancha tende a ficar mais sólida e o surfista confiante para fazer arcos longos. São recomendadas para ondas mais emparedadas que, se surfadas com quilhas de pouco rake (mais em pé), a prancha ficaria mais “nervosa”, prejudicando o surf de linha que este tipo de onda pede.

Exemplos de quilhas com pouco rake (clique para visualizar estes modelos)

4) Materiais

Os materiais usados vão definir o grau de flexibilidade da quilha, o que influencia na retomada de velocidade entre as curvas realizadas. Portanto, se você é um surfista que coloca bastante pressão nas manobras, quilhas com detalhes de carbono na sua construção são recomendadas. Porém, um pouco de flexibilidade também é interessante, pois isto lhe ajudará a criar a retomada de velocidade entre uma manobra e outra. Neste caso, as quilhas em fibra de vidro e alma de honey comb são as mais recomendadas.

Quilhas com carbono (clique para visualizar este modelo)
Honeycomb (clique para visualizar este modelo)

5) A Prancha

Pranchas com rabetas estreitas podem usar quilhas com tamanho um pouco menor que as recomendadas para o seu peso do surfista, ajudando a soltar-se mais em ondas fracas. Em contrapartida, em pranchas de alta performance,”ariscas”, com rocker acentuado e outline mais estreito, pode-se usar quilhas maiores ou mais deitadas (ex.: Família Carver da FCS) para compensar o drive e ajudar na velocidade. Quilhas maiores também são boa opção para as pranchas estilo Retro-Fish.

Detalhes como o fundo também podem influenciar na escolha das quilhas. Por exemplo, pranchas com vee botom mais acentuado na rabeta, tendem a ser muito soltas, o que pode ser equilibrado com o uso de quilhas maiores.

Tudo isso é apenas teoria e o melhor teste sempre será dentro d’agua, onde você poderá observar detalhes do seu próprio surf e ir aprimorando seu quiver. Lembre-se que as quilhas podem mudar bastante o funcionamento da prancha e a mudança pode dar nova vida para aquele seu foguete que está encostado.

Boas ondas!

Veja neste link as quilhas disponíveis na Surf Alive.https://www.surfalive.com.br/surf/quilha

Compartilhar: