FINAL HISTÓRICA EM PIPELINE COROA ÍTALO FERREIRA CAMPEÃO MUNDIAL

FINAL HISTÓRICA EM PIPELINE COROA ÍTALO FERREIRA CAMPEÃO MUNDIAL

Por Henrique Knevitz

O dia 19 de dezembro de 2019 ficará marcado como um dos mais memoráveis da história do surf mundial. As ondas da bancada mais famosa do planeta proporcionaram um verdadeiro show que teve como protagonistas dois brasileiros.

Se ao amanhecer havaiano, Ítalo Ferreira, Gabriel Medina e Kolohe Andino ainda tinham chances de levantar o caneco mais cobiçado do esporte dos deuses, logo na primeira bateria o americano deu adeus às suas pretensões com a vitória de Ítalo sobre o paranaense Peterson Crisanto. Com o mar ainda “acordando”, as médias de todo round foram relativamente baixas. Mesmo assim, o que não faltou foi emoção… principalmente na bateria entre Gabriel Medina e Caio Ibelli, que marcava o reencontro após a polêmica interferência do então número um do mundo em Portugal.

O confronto parecia morno, com médias muito baixas. Gabriel teve em sua melhor onda um 4,23 e Caio não chegou a 2 pontos na soma das suas melhores ondas. Faltando cerca de 2 ou 3 minutos pro final da bateria, as câmeras da WSL filmavam o técnico e padastro de Gabriel, Charles Medina, gritando da areia: “Pode rabear! Pode rabear!” Ninguém entendeu… A prioridade era de Caio… será que Medina não avistara as placas de prioridade novamente? Ou será que faria um protesto aos olhos do mundo, lançando mão da tentativa do título?

Talvez para nós espectadores, a matemática não era tão clara, mas para Charles e Gabriel, extremamente frios e calculistas, era apenas um golpe estratégico. Há pouco mais de um minuto pro fim, Caio se posiciona para uma esquerda de tamanho médio, mas com potencial de nota. Gabriel não exita e comete a interferência (ou rabeada como seu técnico gritara). O resultado foi a perda de sua segunda maior nota, mas que ainda o deixava em primeiro lugar na bateria e sepultaria as chances de Ibelli. Para muitos, um ato de extrema inteligência daquele que é o maior competidor de sua geração e um dos maiores da história. Para outros, um ato antidesportivo que prioriza a vitória a qualquer custo em detrimento da ética. Difícil julgar. Alguns dos maiores nomes da história do esporte tiveram atitudes parecidas… quem lembra da final do mundial de Formula 1 de 1990? Enfim… o que ninguém discute é que Gabriel Medina é um predador. Disputa toda e qualquer bateria com olhos de tigre, muita vontade de vencer e um talento absurdo, digno de talvez ser considerado o surfista mais completo da atualidade.

Por sua vez, Ítalo foi trilhando seu caminho com a mesma gana e uma áurea incrível. Até mesmo atrás da tela do computador/TV era possível sentir a vibe que o potiguar emanava na praia, sendo amplamente saudado por seus amigos, familiares, namorada e alguns dos surfistas mais famosos do arquipélago. Fato esse que chamou atenção, pois poucas vezes um brasileiro foi visto com tamanha moral no Havaí. Nomes como Johny Boy Gomes e Jamie O`Brien torciam fervorosamente, enquanto Shane Dorian foi treinador de Ítalo Ferreira durante o Pipe Masters.

Ítalo Ferreira. Foto: WSL Kelly Cestari

Ao longo do dia o mar só melhorava, ganhando tamanho e bons tubos, com o campeonato seguindo firme. Yago Dora, Michel Bourez, John John Florence (mesmo ainda descontado pela lesão) e Kelly Slater (campeão da Tríplice Coroa Havaiana aos 47 anos!) tiveram boas performances. Mas, o que todos queriam aconteceu, e os brasileiros concorrentes ao título mundial chegaram à grande final.

Com um tubo para Backdoor logo no início da bateria e uma boa onda surfada para Pipeline, Ítalo não deu muitas chances para Medina e a rainha do North Shore coroou o potiguar de cabelos dourados com o novo rei do surf mundial. Um título merecido de um surfista espetacular, dono de manobras inovadoras e um backside digno de nos fazer lembrar nomes como Occy e outras lendas do surf mundial.

Aqui no Brasil, a Surf Alive em parceria da Billabong preparou uma grande festa com a exibição do campeonato na Surf Alive Perdizes.

Festa na Surf Alive Perdizes

Parabéns Ítalo, parabéns Medina, parabéns a todos os brasileiros e demais surfistas do tour. Que venha 2020!

Compartilhar: