CALA A BOCA E AGRADECE!

CALA A BOCA E AGRADECE!

por Henrique Knevitz

Surfar é uma benção. Muito obrigado meu Pai, pelo surf fazer parte da minha vida.

Como é bom surfar ao lado dos amigos. Melhor ainda é quando os amigos são aquele tipo de pessoa que emana energias positivas… aquele tipo de brother que, independente da condição, está sempre numa vibe legal, feliz pela oportunidade de pegar umas ondas.

Infelizmente, frequentemente nos deparamos com situações contrárias a isso.

“O mar tá uma m…”

“Aqui nunca dá onda, lá em… é muito melhor”

“Não vou, está muito frio”

“Não tenho prancha pra cair nesse mar.”

“Eu sou f… estou na Indonésia e você nessa m…”

“Isso pra mim não é surf… eu posso viajar toda semana”

Pra usar uma expressão da moda, isso é tóxico.

Os argumentos são diversos, nem sempre aceitáveis. Claro que existem aqueles motivos de força maior: trabalho, saúde, distância, etc… Mas geralmente quem passa por isso, é quem mais valoriza uma caída. Mesmo que seja naquele meio metro torto e mexido.

Surfar é uma benção. Sempre vai ter alguém que surfa melhor que você, sempre vai ter um lugar com onda melhor, alguém com uma prancha mais legal. O que importa é estar na água.

E se você não quer por opção, também é válido. Só não precisa desmerecer lugares, coisas ou pessoas. Isso é coisa de gente frustrada.

Outro dia estava assistindo ao documentário da lenda do surf brasileiro, Taiu Bueno. Para quem não sabe, Taiu foi um competidor de muito sucesso nos anos 80, mas durante um freesurf na praia da Paúba em novembro de 1991, sofreu um acidente que infelizmente o deixou tetraplégico. Pois bem… em determinada parte deste filme sobre sua trajetória podemos vê-lo surfando numa prancha adaptada, ajudado pelos seus amigos. O cara estava amarradão! Estamos falando de um campeão de surf que pegava Pipe, Sunset e diversas ondas ao redor do planeta. ISSO É SURF POHA!

Nós surfistas, somos privilegiados. Praticamos um esporte apaixonante. Temos “obrigação” de devolver pro mar, tudo que ele nos proporciona de diversão. Vibrações positivas e gratidão cumprem este papel. Vamos aproveitar sem reclamar.

Agradeça a Deus, Jah, Buda, Alá ou aos Orixás e bora pra água!

Aloha!

Compartilhar: