Surf e a qualificação para as olimpíadas de Tóquio 2020

Surf e a qualificação para as olimpíadas de Tóquio 2020

Após o acordo entre a ISA e a WSL, em dezembro de 2017, sobre o número de presenças nos próximos Jogos Olímpicos, onde o Surf fará a sua estreia, muitas dúvidas ficaram por esclarecer relativamente ao processo de seleção dos atletas.

O Comité Olímpico Internacional aprovou o sistema de qualificação dos surfistas que estarão presentes em Tóquio 2020, assegurando assim “a participação dos melhores surfistas profissionais bem como promovendo oportunidades nos Jogos para surfistas ao redor do Globo”.

Para ver o sistema de qualificação completo basta clicar aqui, mas os elementos chave são os seguintes:

– 20 homens, 20 mulheres;

– Máximo de 2 surfistas por género por Comité Olímpico Nacional (CON);

– De acordo com as orientações do COI, os eventos de qualificação foram determinados sob ordem hierárquica, conforme explicado abaixo; se dois surfistas do mesmo sexo se qualificarem através da primeira ordem hierárquica, o CON não será capaz de qualificar mais surfistas do mesmo género através de eventos de menor qualificação na ordem hierárquica de qualificação;

– Todos os surfistas selecionados pelas federações para as suas equipes nacionais devem participar nos ISA World Surfing Games de 2019 e 2020 para serem elegíveis para a qualificação Olímpica.

A ordem hierárquica de qualificação será:

2019 WSL Championship Tour: Primeiros elegíveis 10 homens e 8 mulheres qualificadas;

2020 ISA World Surfing Games: Primeiro elegíveis 4 homens e 6 primeiras mulheres qualificadas;

2019 ISA World Surfing Games: 4 homens e 4 mulheres, selecionados com base no continente de origem. Melhor surfista elegível de cada género de África, Ásia, Europa e Oceania;

2019 Jogos Pan-americanos: Primeiro homem e primeira mulher elegíveis nas competições de surf;

Vagas para a nação anfitriã: Um vaga para um homem e uma mulher serão garantidas para o país anfitrião, o Japão, a menos que estas estejam preenchidas através das hierarquias acima descritas. Os atletas japoneses devem qualificar-se regularmente, as suas vagas serão realocadas aos melhores surfistas elegíveis dos 2020 World Surfing Games.

A confirmação por parte do COI, da ISA e da WSL torna agora o caminho rumo a Tóquio 2020 mais claro e os surfistas e as federações do globo sabem agora o que têm que fazer para alcançar o sonho Olímpico. Resta trabalhar nesse sentido.

As próximas competições, em especial os ISA World Surfing Games, serão definitivamente mais disputadas uma vez que uma presença nos Jogos Olímpicos passará a estar em jogo e na lista de prioridades.

Compartilhar: